terça-feira, 6 de dezembro de 2011

14 Princípios de Deming: o desafio da filosofia da qualidade

Um dos grandes desafios dos "Seres Empresas" sempre será o de compreender, adotar, praticar e disseminar a filosofia da qualidade, para que possa desenvolver-se de maneira positiva e permanente dentro de seu foco de negócio e integrado com sinergia ao ambiente, numa conexão flexível e que flua de forma equilibrada e harmônica.

Novamente aqui vamos nos deparar com o famoso, profundo e delicado "simples e complexo".
A expressão qualidade, hoje já é um "default" para qualquer um, você, família, seu amigo, clientes, fornecedores, colega de trabalho, diretores e tomadores de decisão, certo?
Mas.... de tão falado, massificado e espalhado por ai, acaba por banalizar e mais arriscado ainda, individualizar sua noção, sua sensação, sua aplicação, o que gera mais confusão, conflitos e dificuldades para sua compreensão.

Um dos conceitos que a Qualidade necessita para sua ação é a Padronização.
Isso funciona de forma esplêndida, uma vez que no Ser Empresa, os "Seres Humanos" (que são sua maior fonte de Energia e que fazem Questionamentos permamentes _ ainda bem!) são os que fazem acontecer, por mais que se busque automatizar, informatizar, substituí-las por máquinas e equipamentos inteligentes (?!?!?!?) sempre haverá um de nós para no mínimo apertar um botão, tomar decisões (sejam estas certas ou erradas) e manter o vai e vêm.
E ao padronizar um sistema, um processo e uma atividade (sempre dentro da empresa), pode-se avaliar e melhorar, evitando que a falha (que acontece!) venha a se repetir e comprometer o resultado final.

http://www.therevenution.com/out-of-the-crisis-with-dr-w-edwards-deming/
Dentro desse conceito, vale aqui divulgar um desafio gigante:
os 14 Princípios de Deming, que nos mostra a utopia da qualidade e serve de padrão filosófico, sempre que nos encontrarmos perdidos, engessados ou fora do sistema:

1º princípio:
Estabeleça constância de propósitos para a melhoria do produto e do serviço, objetivando tornar-se competitivo e manter-se em atividade, bem como criar emprego.

2º princípio:
Adote a nova filosofia.
Estamos numa nova era econômica. 
A administração ocidental deve acordar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e assumir a liderança no processo de transformação.

3º princípio:
Deixe de depender da inspeção para atingir a qualidade.
Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio.

4º princípio:
Cesse a prática de aprovar orçamentos com base no preço.
Ao invés disto, minimize o custo total. 
Desenvolva um único fornecedor para cada item, num relacionamento de longo prazo fundamentado na lealdade e na confiança.

5º princípio:
Melhore constantemente o sistema de produção e de prestação de serviços, de modo a melhorar a qualidade e a produtividade e, conseqüentemente, reduzir de forma sistemática os custos.

6º princípio:
Institua treinamento no local de trabalho.

7º princípio:
Institua liderança.
O objetivo da chefia deve ser o de ajudar as pessoas e as máquinas e dispositivos a executarem um trabalho melhor. 
A chefia administrativa está necessitando de uma revisão geral, tanto quanto a chefia dos trabalhadores de produção.

8º princípio:
Elimine o medo, de tal forma que todos trabalhem de modo eficaz para a empresa.

9º princípio:
Elimine as barreiras entre os departamentos.
As pessoas engajadas em pesquisas, projetos, vendas e produção devem trabalhar em equipe, de modo a preverem problemas de produção e de utilização do produto ou serviço.

10º princípio:
Elimine lemas, exortações e metas para a mão-de-obra que exijam nível zero de falhas e estabeleçam novos níveis produtividade.
Tais exortações apenas geram inimizades, visto que o grosso das causas da baixa qualidade e da baixa produtividade encontram-se no sistema, estando, portanto, fora do alcance dos trabalhadores.

11º princípio:
Elimine padrões de trabalho (quotas) na linha de produção.
Substitua-os pela liderança; elimine o processo de administração por objetivos. 
Elimine o processo de administração por cifras, por objetivos numéricos. Substitua-os pela administração por processos através do exemplo de líderes.

12º princípio:
Remova as barreiras que privam o operário horista de seu direito de orgulhar-se de seu desempenho.
A responsabilidade dos chefes deve ser mudada de números absolutos para a qualidade; remova as barreiras que privam as pessoas da administração e da engenharia de seu direito de orgulharem-se de seu desempenho. 
Isto significa a abolição da avaliação anual de desempenho ou de mérito, bem como da administração por objetivos.

13º princípio:
Institua um forte programa de educação e auto-aprimoramento.

14º princípio:
Engaje todos da empresa no processo de realizar a transformação.
A transformação é da competência de todo mundo.

Peço que releia, porém antes, pegue um café, respire fundo e abra sua Mente, pois somente assim poderá compreender a profundidade e imensa sabedoria de adotar estes princípios.

E divulgue entre todos de sua empresa.

Esteja preparado, pois será necessário estar aberto para o que sua aplicação vai fazer e gerar de mudanças positivas.
Sentiu calafrios, medo, despreparo?
Se sua resposta foi sim...
Syn!
Faça contato e vamos conversar, este é o momento de avançar!

Fonte:
DEMING, W. E. Qualidade: A Revolução da Administração. Rio de Janeiro: Marques Saraiva, 1990.

http://synerhgon.com.br/SYNERHS_curso_qualidade_instrumentos.htm
PS: Se gostou, compartilhe com sua rede de contatos aí na empresa e nas redes sociais. Se tiver dúvidas ou queira compartilhar suas sensações, deixe seu comentário e conversamos. Syn! Vibro que aprecie muito!

curta.contate.siga.vamos.juntos